Olá galera, hoje trago a vocês o novo deck to beat do Standard, o Temur Aetherworks ou Marvelous Temur. O deck apareceu com quatro cópias no Top8 do Pro Tour, e foi o deck com maior conversão para o Day 2, além de vencer os dois últimos GPs do formato.

Kevin Jones – Marvelous Energy – Grand Prix Montreal
Terrenos (22)

Criaturas (11)

Outras Mágicas (27)

SIDEBOARD (15)

O deck tem gerado reclamação de amadores e de jogadores profissionais devido a sua capacidade de free wins com pouca interação, jogando Ulamog, a Fome Interminável no turno quatro com Maravilha do Sistema Eteráulico; seu ganho de energia é altíssimo e com muito valor, com cartas como: Harmonizar-se com o ÉterRefinador ClandestinoVirtuose dos Turbilinos, Lampejo de Genialidade, Quebra-cabeça do Lenhotecedor (Spin do Marvel somado com seis de vida, insano!) e também Raio Domesticado que pode ser fonte de energia ou remoção adequado pra criaturas de qualquer resistência , transformando o deck numa match difícil para os melhores decks do formato, principalmente com a nova adição Chandra, Invocadora do Fogo, que nunca brilhou no formato, mas que caiu como uma luva limpando mesas muito cheias, reciclando a mão com vantagem de cartas, ou até mesmo colocando pressão no oponente com dois corpos 3/1 com Ímpeto. O deck também consegue chegar a dez terrenos e jogar o Eldrazi no braço; sendo assim também não exige pressa pra vitória; então avaliando as matchs do deck temos:

Zombies: Apesar do resultado do Pro Tour, na semana seguinte a adição de sweepers mostrou que a partida é favorável, principalmente em cima do Mono Black, devido aos sweepers, como  Sóis EscaldantesRetorno de Kozilek, alem da já citada Chandra, o deck também utiliza de Esguicho de Magma e claro Ulamog para exilar os zumbis que retornam do cemitério.

Mardu Vehicles: Talvez entre os principais baralhos essa seja a pior match para o Marvel, a velocidade do Mardu com suas cartas exigindo diferentes respostas muitas vezes conseguem atropelar o Temur, principalmente quando este não consiga encontrar seu Quebra-Cabeça para garantir o folego. Porém o veículos não apresenta o mesmo sucesso no formato, devido as cartas de hate que fazem parte dos main decks como Esguicho de MagmaLibertação da Dissidente.

Golgari Constrictor: O BG precisa contar muito com a sorte no primeiro game contra o Marvel, a unica interação que prejudica o Temur antes do sideboard é destruição de artefato, ou seja é provável que o Ulamog esteja na mesa quando o BG fizer sua primeira jogada reativa, e também o deck não tem velocidade suficiente, normalmente sendo parado por tópteros, Refinadores e Raios, só o sideboard da esperança pro Golgari.

Izzet Control: Aqui temos o deck mais reativo, onde a Maravilha normalmente nem entra em campo, porém o problema é outro, o Izzet só começa a trilhar a vitória a partir do turno seis com o Mecanotitã Torrencial, que precisa fugir de Raio Domesticado e Libertação da Dissidente, não conseguindo derrubar o Temur antes de casts do Ulamog, que mesmo anulado já costuma fazer estrago suficiente, além de que o eldrazi é imortal quando cai na mesa.

Então, se o deck não tem nenhuma match muito desfavorável, apresenta resiliência e versatilidade, com turnos iniciais e finais sem muita interação como fazer para derrota-lo?

Azul é o novo vermelho!

Se no meta passado o combo Saheeli Rai + Guardião Felidar era prejudicado principalmente por Choque, Desintegração Ilícita e Balista Ambulante, o novo vilão requer cartas completamente diferentes, e a aposta está em decks que colocam pressão na mesa e não deixam a Maravilha nem tocar no campo, por exemplo uma das estrelas do meta pré Aether Revolt, o UW Flash, onde Supressor de Mágicas conseguia impor pressão anulando,  também alguns jogadores apostaram em trazer o Mardu com a configuração que utiliza azul com Canal dos Espigões e Rejeição Cerimoniosa.

Enfim até que ponto o vermelho vale a pena ser usado? Não que não seja viável (e muito engraçado!) usar uma Especialidade de Kari Zev no Ulamog do adversário e também deva-se esquecer dos outros decks do formato, mas será que o Mardu Vehicles não poderia apostar numa mudança pra outro trio de cores podendo interagir mais na partida? Ou o Izzet Control se transformando em UB ou UW, ganhando descartes ou cartas que exilam como Degredar? Ou será o Marvelous Temur imbatível e dominando o meta até o lançamento da Hora da Desvastação? Quem sabe descobriremos o novo caminho do meta nos 3 GP’s que acontecerão no próximo final de semana (2-4/6/2017). A aposta do humilde escritor atrás do monitor é essa:

Pascal Maynard – Esper Vehicles

Terrenos (24)

Criaturas (24)

Outras Mágicas (12)

Sideboard (15)

 

Marvelous Hate

Pra finalizar uma curta lista de cartas relevantes que eu lembrei pra dar hate no Tier 1 do formato:

Vermelho

Azul

Verde

Preto

Branco

  • Declaração em Pedra: Ótimo contra zumbis, exila o eldrazi também, retornou com tudo para sideboards e alguns main decks
  • Degredar: Exila tudo, com reciclar, se você não liga de pagar quatro manas é main deck

Douradas

 

Enfim pessoal, espero que a leitura tenha ajudado a combater o deck to beat, até a próxima!

 

Anúncios