Em tempos de polarização do Standard entre os baralhos de Companhia Agrupada vs baralhos de Emrakul, muito tem se pesquisado sobre brechas no formato e meios de quebrar esta hegemonia.

Uma das melhores tentativas é o UG Crush, pilotado por Steve Rubin no Campeonato Mundial que aconteceu neste fim de semana em Seattle.


Steve Rubin – UG Crush – Worlds 2016

Criaturas (8)

Outras Mágicas (28)

Terrenos (24)

Sideboard (15)


 

A estratégia básica é rampar sua mana e fazer um Abraço dos Tentáculos com seu custo de Surto, Voltando todas as permanentes para a mão do dono e deixando pra trás um polvo 8/8. Mas o baralho faz bem mais que isso e é cheio de nuances interessantes.

Os Advogado Silvestre seguram o jogo no início, te fazendo ganhar tempo de jogar suas mágicas de Ramp, que fazem os seus Advogados ficarem 4/5 antes dos do oponente. Na hora de finalizar o jogo, o bônus de +2/+2 pras criaturas/terreno é bastante relevante. Quedas Estrondosas 5/5 Resistência à Magia e um terreno Despertado 8/8 normalmente são suficientes pra acabar como jogo em um só ataque.

As mágicas de buscar terrenos fazem seu baralho “secar” rapidamente enquanto melhoram progressivamente as suas compras. neste ponto Peças do Quebra-Cabeças começa a ficar cada vez melhor, normalmente encontrando a carta que você precisa no momento, além de ser um ótimo facilitador pra pagar o custo de Surto de Abraço dos Tentáculos.

Outra interação-chave deste baralho é entre o Abraço e Protetor do Covil. O Abraço volta o Protetor pra sua mão, e no próximo turno é possível fazer o Protetor e usas sua habilidade pra voltar o Abraço para a sua mão deixando uma ficha de Polvo 8/8. Contra os baralhos baseados em criaturas, isto geralmente termina com o oponente concedendo a partida.

Com tantas formas de tirar os terrenos do baralho e por em jogo, mais Peças do Quebra-cabeças, o baralho é incrivelmente consistente, e pune qualquer tropeço do oponente; em contrapartida como a maioria dos baralhos de ramp, é vulnerável às estratégias superagressivas e às mãos mais rápidas dos baralhos de Companhia Agrupada. Mas olhando para o formato como um todo, qualquer estratégia tem esta fraqueza, então este não é um motivo para abandonar o UG Crush.

Para mitigar esta fraqueza contra os baralhos muito agressivos, as Dríades Nodosas no Sideboard, juntamente com Retirada para Kazandu seguram a agressão inicial e ganha muita vida muito rápido, aumentando suas chances de sobrevivência até chegarem suas mágicas “grandes”.

Além das cartas citadas acima, contra o UR burn existe Orbes de Proteção, uma carta que o UR não tem jeito de lidar e simplesmente invalida toda a estratégia de Termoalquimista + dano na cara, fazendo este matchup ser altametne favorável a partir do jogo 2.

Contra os outros baralhos baseados em Emrakul, é uma corrida para a Eldrazi, e quem chegar primeiro leva. Os eldrazis intermediários, tanto o Demônio das Profundezas Ancião quanto o Dobramentes Distendido podem atrapalhar a sua vida, mas mesmo assim o confronto é bastante equilibrado. Se você conseguir fazer o Repartir o Véu D’agua com Despertar, as coisas tendem a ficar bem feias pro oponente.

Com matchups equilibrados tanto contra os baralhos de Companhia Agrupada quanto os Emerge/Delirium, e sendo bastante favorável contra os outros baralhos de menor presença, o baralho é realmente uma opção válida e muito consistente no metagame atual, além de ser absurdamente divertido de se jogar!

 

Anúncios